União dos Escoteiros do Brasil adota processo de uniformização inteligente e expande vendas – iCrowdNewswire
Spain Brazil Russia France Germany China Korea Japan

Artificial Intelligence driven Marketing Communications

Jul 23, 2019 8:20 PM ET

União dos Escoteiros do Brasil adota processo de uniformização inteligente e expande vendas


iCrowd Newswire - Jul 23, 2019

A partir da contratação no início de 2015 de uma consultoria especializada, para resolver um problema de padronização dos uniformes comercializados em suas lojas, a União dos Escoteiros do Brasil (UEB) conquistou o aumento da qualidade das peças, a otimização dos procedimentos e um crescimento exponencial das vendas.

Em pouco mais de quatro anos, o faturamento anual saltou de R$ 700 mil para R$ 11 milhões, com o vestuário representando em torno de 41% destes valores. A União dos Escoteiros do Brasil, que representa atualmente 104 mil escoteiros em todo o país, comercializa cerca de 4.300 peças de uniformes todos os meses, por meio de suas seis lojas físicas, um e-commerce e em dezenas de representantes.

A transformação aconteceu com a revisão de todo o processo, do produto, passando pela produção até o modelo de negócios. “A UEB desejava apenas uma correção de modelagem, pois havia problemas de padronização. Cada facção fornecedora tinha sua modelagem própria e, dessa forma, as numerações não batiam, nem o corte das peças”, explica Kamille Cunha, diretora e fundadora da STYL Uniformes, que atende nacionalmente empresas e indústrias de diferentes ramos de atuação.

No entanto, logo no início do trabalho, ela percebeu que havia necessidade de revisar todo o processo. “Existia um problema de baixa produtividade das peças. As modelagens estavam imperfeitas e apresentavam excesso de detalhes; existia oportunidade para atualização dos maquinários; os fornecedores não eram ideais; os tecidos não ofereciam a qualidade desejada para aquele tipo de uso e havia muito desperdício”, elenca Kamille.

O que para o cliente era uma simples correção de rota, se mostrou algo muito mais complexo com a visão da consultoria contratada. Além das importantes correções citadas acima, segundo Kamille, era preciso dar um passo adiante e redesenhar o modelo de negócios.

“A UEB fazia o papel das fábricas: comprava os tecidos, aviamentos e repassava esses materiais para as facções, o que acarretava excesso de matéria-prima em estoque na instituição”, argumenta.

Em parceria com a STYL, UEB implanta novo modelo de negócios de uniformes.

A partir de estudos e pesquisas realizadas internamente, e de um olhar holístico sobre todos os processos, a STYL apresentou soluções focadas na eficiência. A consultoria desenvolveu todos os novos fornecedores da UEB, alterando a cadeia produtiva.

As linhas de produção foram concentradas em cada uma das três fábricas fornecedoras escolhidas, e um calendário com programação de pedidos antecipados foi construído para otimizar o estoque de produtos acabados e garantir o atendimento imediato às lojas.

A definição de uma nova modelagem e a orientação aos fornecedores sobre o corte adequado foram fundamentais para conquistar a redução de 30% do tempo de confecção das peças e de 40% no consumo de tecido.

A solução ainda contribuiu para a melhoria de qualidade das peças, o que resultou numa ampliação de vida útil dos uniformes de seis meses para dois anos. Além disso, peças com mais produtividade geram menor tempo de maquinário, proporcionando menores custos, ressalta Kamille. Segundo ela, todas as ações foram planejadas com o cuidado de não descaracterizar os uniformes, tão admirados entre os escoteiros.

Deste trabalho conjunto, a UEB deixou de estocar matéria-prima e passou a estocar produto acabado, o que deu mais dinamismo para a crescente procura de uniformes em suas lojas e reduziu significativamente os custos desta operação.

“Os produtos melhoraram em qualidade e modelagem e os custos baixaram, tornando as peças com bom valor de mercado e fazendo com que mais escoteiros desejassem ter o uniforme renovado”, afirma Márcio Albuquerque, diretor de marketing da UEB.

A produção passou a ter um rígido controle de qualidade. Além do crescimento exponencial das vendas, o processo fez com que o índice de satisfação dos usuários saísse dos 65% e ultrapassasse a marca de 90%.

As peças comercializadas são calças, bermudas, saias, camisas, camisetas e camisetas polo. Este ano, outra conquista está sendo comemorada: uma linha exclusiva de produtos homologada pela Organização Mundial dos Escoteiros no Reino Unido teve autorização para ser produzida no Brasil, com blusa de moleton, camiseta e camisa polo.

A STYL continua prestando assessoria à UEB na coordenação de toda a produção dos uniformes e no desenvolvimento de novos negócios. Ao ressaltar a importância da confiança do cliente neste processo, Kamille destaca que as empresas que se mantêm receptivas e revelam suas “dores” em detalhes, conquistam melhores resultados.

“As organizações que nos permitem fazer uma completa imersão na empresa para detectar as possíveis falhas, são aquelas em que conseguimos atuar com muito mais eficiência e eficácia”, pontua.

Sobre a STYL:Há 15 anos no mercado, o escritório de consultoria é focado no serviço completo, — processo de pesquisa, criação, produção e assessoria, — para a entrega de soluções inovadoras para os problemas de uniformização das empresas.

http://www.styl.com.br








iCrowdNewswire




Tags:    Wire, Portuguese