O que fazer para montar um negócio próprio com menos risco – iCrowdNewswire
 
x

RSS Newsfeeds

See all RSS Newsfeeds

Jul 13, 2018 1:40 PM ET

Subject to Terms of Use.

O que fazer para montar um negócio próprio com menos risco

iCrowdNewswire - Jul 13, 2018

Liberdade financeira, fugir de patrão, gerenciar o próprio tempo, realização pessoal, entre outros, estão na lista dos desejos de quem busca ter um negócio próprio.

A maioria dos brasileiros tem o sonho de ser dono do seu próprio negócio e fazer parte do seleto grupo de empresários bem-sucedidos, mas muitos ficam com aquele medo de começar do zero e se arriscar em um negócio incerto, porém, existe uma solução inteligente para começar um empreendimento com mais segurança.

No Brasil, existem 6,4 milhões de estabelecimentos, desse total, 99% são micro e pequenas empresas (MPE), sendo que as MPEs respondem por 52% dos empregos com carteira assinada no setor privado o equivalente a 16,1 milhões de empregados.

Segundo pesquisas, 80% dos brasileiros tem o sonho de ser dono do próprio negócio, mas muitas vezes esse sonho torna-se um pesadelo quando não se faz um bom plano de negócio, ou ainda quando o empreendedor se aventura em um mercado no qual não possui experiência anterior ou conhecimento técnico.

Para minimizar o risco do negócio “naufragar”, milhares de empreendedores vem optando por um mercado que vem crescendo mesmo em tempos de crise, as redes de franquias.

Teoricamente a empresa franqueadora já assumiu previamente o risco e custos, dentre outros, com testes de produtos, de serviços e de mercados, para modelar, aperfeiçoar e aprovar um modelo de negócio com processos bem definidos, no qual o novo empresário (franqueado) que aderir à rede se beneficia de todo o conhecimento da franqueadora na gestão e operação do negócio.

Um levantamento feito pela ABF (Associação Brasileira de Franchising) em parceria com o Sebrae mostra que os risco do negócio não dar certo diminui bastante no comparativo entre se aventurar num negócio “solo” ou seguir com um modelo de franquia. A taxa de mortalidade das empresas solo (tempo de vida do negócio no mercado) supera a casa dos 20% nos 2 primeiros anos, enquanto esse percentual das empresas franqueadas é de apenas 3,7%.

Segundo Oswaldo Segantim Junior, cofundador da rede de escolas Enjoy Inglês Profissionalizante, que está no seguimento de educação desde 2006, e como empresa franqueadora desde 2015, com 37 unidades franqueadas, o mercado de franquias está aquecido, justamente pelo desejo do brasileiro em empreender e pela segurança que um negócio já testado e aprovado traz para o investidor e complementa; “Eu mesmo se fosse montar um novo negócio iria procurar uma franquia, pois além de minimizar os riscos, me possibilita colocar esforços apenas na gestão, pois todos os processos e produtos já estariam formatados e testados.”

Outros números corroboram para esse aquecimento, com base nas pesquisas realizadas pela ABF o faturamento do setor de franquias no primeiro trimestre de 2018 teve um crescimento de 5,1% em relação ao mesmo período de 2017. Já o PIB teve um crescimento de apenas 1,2% nesse mesmo comparativo, segundo levantamento do Ibre/FGV.

Os números comprovam que a taxa de êxito das franquias é mais positiva, contudo, se deve observar alguns erros comuns que novos empreendedores cometem ao ingressar em uma rede de franquias e que acabam por dificultar o sucesso da loja ou estabelecimento. Em destaque alguns abaixo:

Escolha incorreta do sócio Se o franqueado opta por ter sócios, deve definir com clareza o critério de escolha. Um erro comum é privilegiar pessoas de confiança em vez de uma outra menos conhecida, mas que possui competência em negócios.

Busca por independência depois de dominar o operacional do negócio A franquia é o tipo de empreendimento em que o ideal é uma relação de interdependência entre franqueador, franqueado e fornecedores. Em outras palavras, todos sabem que pertencem à mesma cadeia produtiva, mas cumprem o seu papel de forma proativa e com autonomia.

Falta de pedir ajuda Parece obvio, mas muitas vezes o franqueado passa a ficar tão fechado dentro do seu negócio que perde um pouco a visão da rede, então quando começa a enfrentar seus desafios, esquece de pedir ajuda e seguir as orientações daquele que deveria ser o seu principal mentor, a Franqueadora.

Achar que uma franquia funciona sozinha Estar à frente do negócio é fundamental para ter sucesso na franquia. Mesmo gerenciando à distância, é importante saber tudo o que está acontecendo em seu negócio e liderar a equipe, garantir que o plano de negócios seja seguido e que os resultados esperados estão sendo alcançados.

Pensar que não precisa trabalhar mais “Não adianta achar que, por comprar uma franquia, você vai ter sucesso com pouco trabalho. O trabalho é sempre maior do que se você fosse empregado, e se o cliente for mal atendido ele não volta mais”, argumenta Oswaldo Segantim Junior. Segundo ele, a vantagem da franquia é que ela permite que o franqueador passe um caminho básico a se trilhar, mas é preciso que o franqueado siga estas determinações à risca para dar certo.

Aqui, uma dica final para minimizar ainda mais o risco no caso de você optar por iniciar seu próprio negócio aderindo a uma rede de franquia; busque uma empresa que tenha processos da operação bem definidos, sistema próprio de gestão, modelo comercial que faça vendas diárias, modelo de processos seletivos e uma empresa madura com anos de experiência e que ainda operem lojas próprias, desta forma, empreender deixará de ser uma aventura e sim a realização de conquista dos seus sonhos e desejos.

Via iCrowdNewswire
Tags: Wire
View Related News >