Grupo de especialistas que trata de crianças e adolescentes com autismo lança Campanha que oferece tratamento gratuito em ABA – iCrowdNewswire
 
x

RSS Newsfeeds

See all RSS Newsfeeds

Dec 6, 2017 3:20 PM ET

Grupo de especialistas que trata de crianças e adolescentes com autismo lança Campanha que oferece tratamento gratuito em ABA

iCrowdNewswire - Dec 6, 2017

No dia 09 de Dezembro comemora-se o Dia da Criança Especial. A data foi instituída para chamar a atenção para as crianças especiais e para que a sociedade reflita sobre o que é possível fazer para melhorar a qualidade de vida delas, ajudando-as no desenvolvimento. No grupo das crianças especiais estão incluídas aquelas com autismo, deficiências – intelectual, visual, auditiva, entre outras – e as diversas síndromes.

No caso do transtorno do espectro autista (TEA), observa-se o comprometimento das habilidades de comunicação e interação social. As causas do autismo são multifatoriais, e através de tratamentos que vem avançando a cada ano, as crianças e adolescentes com TEA podem conviver em sociedade e se desenvolver com qualidade.
Para marcar esta data e envolvimento, e ressaltar a importância do tratamento adequado para crianças e adolescentes com TEA, O Grupo Conduzir lança a Campanha Filantrópica “ABA para todos”.

O que é ABA (“Applied Behavior Analysis”)?

ABA é uma Ciência aplicada do comportamento que pode ser utilizada para trazer soluções de problemas a fenômenos de relevância social, entre eles, o autismo. A Análise de Comportamento Aplicada (ABA) é a base para os tratamentos mais indicados para o TEA, segundo a Organização Mundial de Saúde. A terapia é baseada em evidências experimentais rigorosas, e é aquela que tem como base os princípios, procedimentos e técnicas derivadas da Ciência conhecida como Análise do Comportamento.

O clássico livro americano “Applied Behavior Analysis” de Cooper, Haron e Heward (2007), descreve cerca de 95 habilidades necessárias para a prática do profissional que aplica a terapia ABA. Tais habilidades vão desde a realização de uma análise funcional apurada, passando por procedimentos de ensino e de mudança de comportamentos, até a forma de registro e avaliação de resultados. Como se trata de uma Ciência, com produção de conhecimento ininterrupta, é também necessário que o Analista de Comportamento se mantenha constantemente atualizado.

“O aprendizado de uma ciência além de complexo, tem de ser contínuo. A quem deseja atuar em uma ciência natural que se propõe a predizer comportamento e desenvolver repertórios comportamentais, cabe o enfrentamento de anos de estudo e dedicação que nunca devem se exaurir,” afirma a especialista em Neuropsicologia e Analista do Comportamento Aplicada ao Autismo do Grupo Conduzir, Renata Michel.

Como funciona a Campanha “ABA para todos”?

O público-alvo do trabalho filantrópico altera de acordo com cada Campanha. Para esta edição da Campanha “ABA para todos” o público-alvo são famílias de baixa renda de crianças entre 6 e 12 anos de idade com diagnóstico de TEA (Transtorno do Espectro do Autismo) e desejam receber atendimento em ABA.

A proposta da Campanha Filantrópica é realizar avaliação de repertório da criança ou adolescente através de sessões clínicas, avaliação de grau do espectro autista, realização de Análise Funcional, elaboração de programas necessários para desenvolver as habilidades e orientação da família para aplicação dos programas e manejo de comportamentos (continuidade da intervenção).

Quem já participou, o que diz?

O caso Elisa – tratamento gratuito continuado

Elisa, de 6 anos, é filha de Sueli Sipriano, atendente de telemarketing. Sueli teve acesso ao diagnóstico de autismo da filha quando a menina tinha 4 anos. Foi um grande susto quando Sueli recebeu a notícia:

“Sofri muito, porque passei três vezes no pediatra do posto de saúde, e ele não encaminhava para o neurologista – falava que a Elisa não tinha nada. Depois de algum tempo, consegui passar com o neuropediatra do SUS. Não foi fácil o diagnóstico. Chorei muito. Fiquei uma semana em casa, não saia pra levar a Elisa na creche, não saía pra nada. Mas Deus me deu forças, me ajudou muito e consegui me reerguer para ir em busca do tratamento para minha filha.”

Após angústias e inúmeras buscas para encontrar o tratamento ideal para Elisa, Sueli ficou sabendo da Campanha “ABA para todos”, se candidatou no programa, e teve a alegria de ter sido selecionada:

“Fiquei muito feliz quando fui selecionada. O trabalho é muito bom, o atendimento é ótimo, os profissionais dão muita atenção pra gente. Agradeço a Deus por ter encontrado esse lugar e por eles terem entendido minha situação e desespero. Lutei tanto, e nunca havia conseguido um tratamento bom para a Elisa. Minha filha gosta muito de fazer a terapia. Tem sido ótimo pra ela.”

Hoje, Elisa é acompanhada por especialistas do Grupo Conduzir, com direito ao tratamento em ABA gratuito.

“O tratamento da Elisa pela Campanha tem sido muito importante. Tenho visto muitas melhoras nela. É bem visível que a comunicação dela está melhorando, respondendo quando perguntam o nome e a idade. Antes, isso que parece tão simples, não acontecia. Estamos muito satisfeitos,” comentou Sueli.

Como fazer para participar da Campanha “ABA para todos”?

Para se candidatar é necessário enviar um e-mail para o Grupo Conduzir: [email protected], com o assunto “ABA para Todos: Campanha 2018”, e aguardar as instruções. Serão selecionadas 10 (dez) famílias para avaliações sem custo. 5 (cinco) famílias terão direito a vagas permanentes gratuitas em tratamento em ABA, no Grupo Conduzir.

É importante que os pais estejam atentos e procurem apenas profissionais que tenham a especialização ou supervisão de um especialista em ABA para o tratamento dos filhos. O Grupo Conduzir é referência no Brasil, quando o assunto é tratamento de crianças e adolescentes com TEA.

“Cabe ressaltar que a qualidade do serviço recebido por essas famílias é o mesmo de qualquer outra que pague pelos serviços do grupo. Tendo em vista que o projeto é 100% financiado pelo Grupo Conduzir, a nossa maior dificuldade ainda é a falta de incentivo governamental ou privado, dos quais estamos em busca atualmente. Não acreditamos que fazemos um favor para a sociedade, mas sim que devolvemos o mínimo que as pessoas deveriam ter: o direto efetivo de receber um tratamento de qualidade, cientificamente comprovado para tratar seus filhos com atraso de desenvolvimento”, comenta Renata Michel, especialista em Neuropsicologia e Analista do Comportamento Aplicada ao Autismo do Grupo Conduzir.

Website: http://www.grupoconduzir.com.br

Via iCrowdNewswire
Tags: , Wire
View Related News >